Esporte

Kamila Valieva suspensa por quatro anos por Doping

A patinadora russa Kamila Valieva foi suspensa por quatro anos pelo Tribunal Arbitral do Esporte (CAS) em decorrência de um resultado positivo para trimetazidina em um exame antidoping realizado durante o Campeonato Russo em dezembro de 2021. A suspensão passa a valer a partir de 25 de dezembro de 2021, data em que o doping foi detectado. Além disso, todos os resultados conquistados por Valieva desde então serão anulados, o que inclui a medalha de ouro por equipes nas Olimpíadas de Inverno de Pequim em 2022.

O CAS anunciou a decisão nesta segunda-feira, e a punição impacta diretamente a participação de Valieva em eventos esportivos, tirando-a de competições por quatro anos. Vale destacar que, na época do exame antidoping, a patinadora tinha 15 anos, e hoje, com 17 anos, enfrenta as consequências dessa decisão.

Repercussão pelo facto da Kamila Valieva ser suspensa

O caso gerou grande polêmica durante os Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim em 2022, pois o resultado positivo de Kamila Valieva foi divulgado durante a competição. O Comitê Olímpico Internacional (COI) optou por não distribuir as medalhas da prova por equipes devido à incerteza do caso. Agora, com a suspensão confirmada, o COI e a União Internacional de Patinação precisam decidir se os russos perderão o ouro nessa prova. Se isso acontecer, os Estados Unidos podem herdar o primeiro lugar, seguidos pelo Japão com a prata e o Canadá com o bronze.

O CAS tomou a decisão de suspender Kamila Valieva após o resultado positivo para a substância proibida trimetazidina. A substância é classificada como um modulador metabólico e está na lista de substâncias proibidas pela Agência Mundial Antidoping (WADA). O tribunal concluiu que a patinadora violou as regras antidoping e, portanto, impôs a suspensão de quatro anos, além do cancelamento dos resultados obtidos desde o episódio.

A Agência de Antidoping Russa (Rusada) inicialmente considerou que Kamila não teve “culpa ou negligência” na ingestão da substância e alegou que a ingestão teria sido acidental. No entanto, posteriormente, a entidade voltou atrás e decidiu apenas advertir a patinadora, mantendo o cancelamento dos resultados conquistados por ela no campeonato nacional de 2021.

Até o momento, Kamila Valieva não se pronunciou sobre a decisão do CAS, mas ela tem o direito de recorrer da decisão em até 30 dias, buscando reverter a suspensão. O caso da jovem patinadora russa continuará sendo acompanhado de perto, uma vez que envolve não apenas as questões esportivas, mas também os debates éticos e de conformidade com as regras antidoping no cenário esportivo internacional.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo