Notícias

Mau cheiro em Lisboa: entenda as causas e quando vai acabar o mau cheiro

O Mau cheiro em Lisboa persistente que tem afetado a região há mais de uma semana deverá desaparecer hoje, quarta-feira, de acordo com a garantia dada por Sofia Teixeira, a investigadora no departamento de qualidade do ar, na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa.

O odor desagradável, descrito como acre e semelhante ao cheiro de azeitonas, tem afetado uma área extensa, desde Lisboa até Sintra, Almada, Mafra, Ericeira e Sesimbra, causando uma situação atípica e pouco comum na região. Segundo a investigadora, o mau cheiro foi intensificado devido aos ventos do sul e sudeste, bem como a uma baixa inversão térmica que aprisionou os gases próximos à superfície da atmosfera. No entanto, a mudança dos ventos para norte e nordeste, esperada para esta quarta-feira, deve reduzir a percepção do odor.

O departamento de qualidade do ar da Universidade Nova de Lisboa está a identificar os locais onde o odor foi sentido para investigar possíveis fontes emissoras. A extensão geográfica do mau cheiro dificulta a deteção precisa da origem. Sofia Teixeira menciona que a hipótese de a origem ser mais a sul, possivelmente no Alentejo, está sendo considerada.

Impacto do Mau cheiro em Lisboa para a saúde

Embora o mau cheiro tenha causado desconforto e gerado críticas nas redes sociais, a investigadora assegura que esse tipo de odor não tem impacto direto na saúde. A principal hipótese para a origem do odor recai sobre indústrias relacionadas ao processamento do bagaço de azeitona, sendo menos provável que provenha de aterros sanitários, já que estes geralmente geram odores mais localizados.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo