Tecnologia

Cientistas da Universidade Federal do Paraná desenvolveram teste óptico da Covid-19

Cientistas da Universidade Federal do Paraná trazem inovações

Cientistas da Universidade Federal do Paraná (UFPR) desenvolveram um novo teste para detecção da Covid-19, utilizando um biossensor óptico para identificar a presença do vírus. Este dispositivo, criado pelo Grupo de Pesquisa de Dispositivos Nanoestruturados (DiNE) e pelo Núcleo de Fixação Biológica de Nitrogênio (NFN), ambos da UFPR, está em fase experimental.

Detalhes da inovação dos Cientistas da Universidade Federal do Paraná

O sensor óptico é capaz de identificar pequenas quantidades de anticorpos com alta sensibilidade, o que significa que há uma baixa chance de erro nos resultados, minimizando os falsos negativos. Até o momento, o aparelho só consegue detectar o anticorpo do coronavírus, mas está sendo adaptado para detectar o vírus diretamente.

De acordo com os pesquisadores, o biossensor é uma opção mais acessível, podendo ser utilizado até mesmo em consultórios médicos, com apenas uma gota de sangue do paciente. Uma das vantagens é o uso de pouca matéria-prima para produção, tornando-o barato e viável para produção em larga escala.

O aparelho é composto por biossensores, que funcionam com um sistema de três elementos: um biorreceptor, um transdutor e uma unidade de processamento. Quando o biorreceptor interage com o material a ser analisado, um sinal é gerado e convertido em um padrão luminoso pelo biossensor. Esse padrão luminoso é observado pelos cientistas para determinar a presença ou ausência do vírus.

Além da detecção da Covid-19, os pesquisadores afirmam que o dispositivo pode ser adaptado para detectar outras infecções causadas por diferentes tipos de vírus. Projetos adicionais utilizando a mesma tecnologia estão em desenvolvimento para outras doenças virais e bacterianas.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo